As lições que o estado de calamidade deixa para escritórios de advocacia

      Enfrentamos uma crise global sem precedentes, a maior da nossa geração. Muitas das decisões tomadas por empresas e governos nas próximas semanas provavelmente definirão o futuro da humanidade nos próximos anos. Diariamente são implementadas mudanças nos sistemas de saúde, na economia, na política e na cultura. Sobreviverá quem agir de forma rápida e decisiva.
      Artistas, impedidos de realizar shows, agora optam pelas lives. Escritórios de advocacia, que antes contavam com poucos colaboradores em trabalho remoto, agora operam 100% em home office. O Poder Judiciário segue a tendência para não suspender a prestação jurisdicional. O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, por exemplo, adotou o Regime Diferenciado de Atendimento de Urgência (RDAU), que não reduziu a produtividade dos magistrados. Muito pelo contrário: com o uso de ferramentas de teletrabalho, videoconferência e escalas de plantão, os magistrados e servidores superaram no último mês os índices de março de 2019, ano em que o TJ-RJ foi reconhecido pelo CNJ como o tribunal mais produtivo do país pelo décimo ano consecutivo. O Tribunal de Justiça da Bahia iniciou, esta semana, sessões de julgamento transmitidas pelo Youtube, com sustentação oral feita pelos advogados por chamada telefônica.

Ler a íntegra na plataforma original

Captura: Biosferatech
Fonte: Conjur, 20 maio 2020

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *